Adesão à Terapia Periodontal de Suporte em Pacientes com Implantes Dentários

A necessidade de implantes dentários é crescente e a terapia periodontal de suporte auxilia na
obtenção de sucesso a longo prazo e na prevenção da peri-implantite. Os fatores contribuintes para a não adesão
à terapia periodontal de suporte a longo prazo permanecem incertos. Para investigar se as características
clínicas e demográficas estão associadas a esse fenômeno, os autores analisaram dados de pacientes que
receberam implantes dentários. Materiais e Métodos: Os autores recrutaram pacientes que participavam
de um programa de terapia periodontal de suporte após a instalação de próteses sobre implantes no período
de 2005 até 2013. Os dados demográficos e o histórico de tratamento odontológico foram coletados. A
adesão foi definida através de registro de participação em um programa de terapia periodontal de suporte
padrão durante o tempo mínimo de um ano. Os testes qui-quadrado e log-rank, a curva de sobrevivência de
Kaplan-Meier e o modelo de regressão de Cox foram aplicados para análise estatística. Resultados: O estudo
incluiu 120 pacientes (259 implantes, 60% de adesão). Os dois grupos (aderente e não aderente) diferiram
significativamente em frequência de distribuição para gênero (P = 0,0017), nível educacional (P = 0,0325),
histórico de uso de substâncias (P = 0,0016), periodontite (P = 0,0005) e alisamento radicular ou cirurgia a
retalho (P =0,0002). As curvas de sobrevivência de Kaplan-Meier e o teste log-rank demonstraram que aumentos
nas taxas acumuladas de continuação foram associados significativamente ao gênero masculino (P = 0,025);
ao índice de massa corporal ≥ 24 kg/m2 (P = 0,0093); ao histórico de periodontite (P < 0.0001); ao alisamento
radicular ou cirurgia a retalho (P < 0,0001) e ao uso de substâncias (P = 0,0026). A análise multivariada
com o modelo de regressão de Cox para a não adesão à terapia periodontal de suporte revelou participação
significativamente maior de pacientes que receberam alisamento radicular ou cirurgia periodontal (razão de
Cox = 0,26, 95% de intervalo de confiança= 0,12 a 0,53, P = 0,0002). Conclusão: Estes resultados sugerem
que, em pacientes reabilitados com próteses sobre implantes, o alisamento radicular ou a cirurgia a retalho
foram fatores cruciais na determinação da adesão à terapia periodontal de suporte. No entanto, estudos bem
delineados de larga escala, com maior tamanho amostral, são necessários para a confirmação dos achados
presentes neste estudo.