Achados Preliminares do Papel da Esclerostina no Processo de Osseointegração ao Redor de Implantes de Titânio


Objetivo: Estudos reconheceram a importância dos sinais Wnt/β-catenina na osteoblastogênese. A esclerostina é uma glicoproteína do gene SOST que inibe a sinalização Wnt/β-catenina e reduz a osteoblastogênese. Até o momento, há pouca evidência sobre o papel da sinalização Wnt/β-catenina e seus inibidores no processo de osseointegração. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a expressão da esclerostina durante a cicatrização óssea ao redor de implantes de titânio inseridos em ratos. Materiais e Métodos: Quinze ratos Wistar receberam um implante com estabilidade primária na tíbia, enquanto a tíbia contralateral recebeu um implante sem estabilidade primária, representando modelos experimentais de sucesso e falha de implantes, respectivamente. Os animais foram eutanasiados 7, 14 ou 21 dias após a intalação dos implantes (cinco por dia). Foi utilizada imunohistoquímica para avaliar as amostras para células positivas para esclerostina. Resultados: A proporção de células positivas para esclerostina foi significativamente maior ao redor de implantes sem estabilidade primária do que aqueles com estabilidade primária aos 7 e 14 dias após a instalação do implante (P < 0,05). Não houve diferença entre os grupos para a proporção de células positivas para esclerostina aos 21 dias após inserção do implante (P > 0,05). Conclusão: A expressão de esclerostina é aumentada ao redor de implantes inseridos sem estabilidade primária em comparação com implantes inseridos com estabilidade primária na tíbia de ratos. Esta evidência preliminar reforça a importância da estabilidade primária do implante de um ponto de vista biológico.