Perda Óssea Peri-implantar de Implantes Tissue Level e Bone Level na Zona Estética com Análise do Biótipo Gengival


Objetivos: O resultado estético dos implantes dentários pode ser comprometido quando algum grau de perda óssea ocorre ao redor do implante. Isso pode afetar particularmente o desenho tissue level (TL). Portanto, implantes bone level (BL) podem ser preferíveis se um perfil de emergência natural for importante. Não obstante o desenho do implante, o biótipo gengival foi identificado como um fator crucial na estabilidade do osso crestal. O objetivo deste estudo foi investigar a perda óssea em pacientes com diferentes biótipos gengivais nos sítios de implante TL e BL na zona estética. Materiais e Métodos: Em 41 pacientes, 20 procedimentos de implante TL e 22 BL foram realizados. Radiografias intraorais de todos os 42 sítios foram realizadas imediatamente após a inserção do implante, bem como durante o exame de acompanhamento. A análise da altura óssea foi realizada por meio de técnica computadorizada. O método TRAN foi usado para determinar o biótipo gengival. Resultados: Após um período médio in situ de 4,9 anos no grupo TL, 12 implantes com um biótipo espesso tiveram uma perda óssea média de 0,21 mm (DP: 0,43 mm). Os oito implantes com biótipo fino tiveram uma perda de 0,05 mm (DP: 0,47 mm; P = 0,31). Após um período in situ médio de 1,9 anos, os 14 sítios BL com um biótipo espesso apresentaram uma alteração óssea média de –0,03 mm (DP: 0,38 mm). Nos oito implantes com biótipo fino, foi anotada alteração de +0,09 mm (DP: 0,32 mm; P = 0,84). Conclusão: A análise dos resultados obtidos não revelou dependência da altura óssea no desenho do implante ou no biótipo gengival. No entanto, antes de escolher um desenho de implante, pode ser benéfico de todos os modos investigar os tecidos moles transparentes onde o desenho BL oferece um perfil de emergência mais natural. Para este propósito, o método TRAN é claramente o mais rápido e fácil.