Um Desafio Estético: Áreas Isoladas de Alta Translucidez em Facetas Laminadas


Os laminados cerâmicos são restaurações geralmente mais finas comparados com as coroas convencionais e onlays. Dentro de um intervalo de 0,3 a 1,5 mm, não é uma tarefa fácil para o clínico proporcionar o espaço adequado para a restauração ideal e, simultaneamente, para o técnico em prótese dentária criar uma peça que imita a natureza. As vantagens da preservação do esmalte e o princípio “primeiro, não fazer mal” implicam em remover a menor quantidade de tecido dentário quanto possível com o propósito de manter a saúde dentária,  sua resistência mecânica e assegurar a previsibilidade do tratamento a longo prazo. Deve haver um equilíbrio entre o desgaste necessário, o qual proporcionará ao técnico alcançar o resultado estético desejado, e os princípios da odontologia minimamente invasiva. Em casos de laminados cerâmicos, existem áreas de variação da espessura da cerâmica que podem gerar problemas estéticos. Estes serão difíceis de serem corrigidos durante a cimentação e também serão nitidamente visíveis para o paciente. Casos clínicos são apresentados aqui para descrever este tipo de problema.