Tratamento de um caso severo de instabilidade oclusal associado a DTMs através de uma abordagem moderna minimamente invasiva


Visão geral: As últimas tendências ao falarmos sobre odontologia restauradora são dirigidas pelos procedimentos minimamente invasivos e a estética. Novos materiais cerâmicos, como o dissilicato de lítio permite ao clinico a obtenção de restaurações invisíveis com um mínimo de espessura de preparo.

Resumo: Paciente jovem do gênero feminino, apresentou-se a clínica com travamento fechado da articulação temporomandibular esquerda e uma instabilidade oclusal desconfortável. Depois de uma redução manual, terapia medicamentosa e tratamento reversível com placa oclusal estabilizadora, foram
realizado restaurações oclusais minimamente invasivas de dissilicato de lítio nos dentes inferiores posteriores. A integração estética das restaurações onlays foi excelente, não ocorrendo fraturas após um ano de acompanhamento, além da paciente relatar a oclusão confortável.

Conclusão: Acreditamos piamente que uma abordagem estética cuidadosa seja mandatória nos dias atuais, inclusive nos casos de dentes posteriores. Novos materiais cerâmicos, assim como o avanço das técnicas adesivas tornaram possível recorrer a opções minimamente invasivas e estéticas, mesmo em casos de restaurações difíceis em termos funcionais.

(Int J Esthet Dent – edição em português 2016;1:250-261).
(Referência original: Int J Esthet Dent 2015;10:576–586).