Técnica de três camadas para implantes imediatos em dentes sem parede óssea vestibular: relato de caso


O osso vestibular é área mais suscetível à reabsorção óssea de um dente anterior. Implantes imediatos oferecem vantagens em termos de tempo, conforto e estética, especialmente no que diz respeito à manutenção da arquitetura das papilas. No entanto, a perda da parede óssea vestibular é frequentemente uma limitação para essa terapia. O presente relato de caso descreve um procedimento clínico de reconstrução do osso vestibular de um dente anterior onde essa parede estava ausente. A abordagem envolveu um implante imediato sem retalho baseado nos princípios da regeneração óssea guiada (ROG), e consistiu no preparo de um envelope de leito receptor grande, sem retalho ad modum, colocação imediata do implante, deposição de xenoenxerto em torno da superfície do implante e cobertura com uma membrana de colágeno. Finalmente, um enxerto de tecido conjuntivo palatino (ETC) foi colocado, e a coroa natural do dente agindo como uma restauração temporária. Um ano depois, uma coroa de zircônia foi instalada. Dois anos após a colocação do implante, o nível de tecido mole estava estável. Nenhum sinal de inflamação ou sangramento foi observado, e o exame radiográfico periapical revelou estabilidade óssea.