Resistência à fadiga e propensão a trincas em restaurações com resina composta do tipo sanduíche “super-fechado” em cavidades MOD amplas


Objetivos: Avaliar a influência de cimento do ionômero de vidro convencional (CIV) versus o modificado por resina (CIVMR) como material de base para restaurações do tipo sanduíche super-fechado (RSSF) e seu efeito sobre a propensão de trincas induzidas por contração de polimerização e resistência à fadiga acelerada in vitro.

Métodos: Preparos MOD foram realizados em 30 molares superiores extraídos (5 mm de profundidade/5 mm de largura vestíbulo-lingual). Restaurações  do tipo“sanduíche modificada” foi foram utilizadas e o agente de união esmalte/dentina foi aplicado primeiro (Optibond FL, Kerr), seguido por uma base de Ketac Molar (3M ESPE) (grupo KM, n = 15) ou Fuji II LC (GC) (grupo FJ, n = 15), deixando 2 mm para o material de resina composta (Miris 2, Coltène-Whaledent). Trincas de esmalte induzidas por contração foram inspecionadas com fotografia e transiluminação. As amostras foram carregadas até a fratura ou a um máximo de 185000 ciclos sob mastigação isométrica (5 Hz), iniciando com uma carga de 200 N (5000 X), seguida por estágios de 400, 600, 800, 1000, 1200 e 1400 N até um máximo de 30000 X cada. Os grupos foram comparados usando a análise de sobrevida (α = 0,008, método Bonferroni).

Resultados: O grupo FJ apresentou a maior taxa de sobrevida (40% espécimes intactos), mas não foi diferente do grupo KM (20%) ou restaurações diretas tradicionais (13%, dados anteriores). RSSF gerou menos trincas induzidas por contração. A maioria das falhas foi novamente restaurada (acima da junção cemento-esmalte [JCE]).

Conclusões: Incluir bases de CIV/CIVMR sob RSSF diretas amplas não afeta a resistência à fadiga, mas tende a diminuir a propensão de trincas induzidas por contração.

Significância clínica: O uso de bases de CIV/ CIVMR e a RSSF é uma maneira fácil de minimizar a tensão de contração de polimerização em defeitos MOD amplos sem enfraquecer a restauração.