Precisão dos procedimentos de moldagem computadorizados e convencionais para múltiplos implantes dentários retos e inclinados


Objetivo: Comparar a precisão das moldagens de implantes usando tecnologia assistida por computador e uma abordagem convencional em um ambiente padronizado in vitro e verificar o efeito da angulação do implante (40 a 45°) na precisão dos procedimentos da moldagem digital e convencional.

Materiais e métodos: Quatro diferentes modelos de referência mandibular desdentados (MRs) foram fabricados. Implantes dentários foram colocados, simulando quatro cenários clínicos diferentes: dois retos (MR1); quatro retos (MR2); dois retos e dois inclinados (MR3) e seis implantes dentários retos (MR4). As moldagens auxiliadas por computador (n = 5 para cada MR) foram feitas usando um escâner intraoral (IOS) (True Definition, 3M ESPE). Os materiais de moldagem poliéter (n = 5 para cada MR) e polivinilsiloxano (n = 5 para cada MR) foram utilizados para a abordagem convencional. Os dados coletados foram analisados em termos de veracidade. A análise estatística foi realizada usando análise de variância de um fator (ANOVA).

Resultados: As diferenças gerais de distância entre implantes, identificadas em valores médios, foram estatisticamente significativas entre os diferentes grupos de moldagem MR1, MR3 e MR4. As análises gerais de dados das variações nos ângulos entre implantes produziram diferenças estatisticamente significativas em todos os quatro MRs. No entanto, as variações obtidos com ambas as abordagens de moldagem não excederam um limite de distância entre implantes de 100µm e um ângulo entre implantes de 0,5°, o que parece ser clinicamente aceitável.

Conclusão: Dentro dos limites deste estudo in vitro, a precisão das abordagens de moldagem convencionais e auxiliadas por computador para implantes dentários retos e inclinados foi semelhante e pode ser considerada clinicamente para restaurações sobre múltiplos implantes na arcada completa. No entanto, mais estudos clínicos são necessários para verificar a viabilidade de diferentes IOSs (com e sem aplicação de pó para escanemaento), diferentes sistemas de implantes e múltiplas configurações de implantes.