Mascaramento extremo: alcançando resultados previsíveis em situações desafiadoras com restaurações adesivas de dissilicato de lítio


Na odontologia contemporânea, temos uma vasta gama de materiais para escolher e as restaurações sem metal tornaram-se os principais materiais para obter o máximo em estética e durabilidade.

As restaurações sem metal são utilizadas com preparos mais conservadores para preservar a dentição natural vital e provaram ser alternativas superiores à metalocerâmica tradicional (MC) em muitos casos.

Sempre há “prós e contras” ao selecionar materiais, e para fazer a melhor escolha é essencial para os profissionais da Odontologia planejar com precisão e entender suas opções em qualquer situação clínica.

A seleção de materiais e técnicas adequados envolve a consideração dos seguintes fatores:

  • Zona estética.
  • Força requerida com base na oclusão do paciente/hábitos dentários.
  • Redução do preparo.
  • Posição da margem.
  • Tipo de restauração/preparo.
  • A filosofia de tratamento do clínico.
  • Cor do preparo.
  • Cor final.

Um dos desafios mais importantes na odontologia sem metal é a reprodução da dentição natural sem a influência de um “preparo negativo” – um núcleo muito escuro ou metálico que aparece através das restaurações finais.

Há muitos fatores a serem considerados quando se trabalha nesse caso, e o controle da opacidade do coping e da coroa é o segredo para o sucesso.

Este artigo apresenta uma técnica única “incomum” que fornece restaurações consistentes, previsíveis e duráveis, que proporcionam o melhor resultado estético possível.