Integração óptica de materiais CAD/CAM


Objetivo: A integração óptica (IO) de materiais monolíticos CAD/CAM sob 4 iluminações foi avaliada com a utilização de um método padronizado e clinicamente relevante.

Materiais e métodos: Dezoito inlays foram confeccionadas e instaladas (gel de glicerina). Fotografias padronizadas foram realizadas sob 4 iluminações (iluminação com luz branca neutra direta e indireta, luz polarizada cruzada, luz fluorescente). Seis avaliadores determinaram o escore de integração óptica (EIO) como “visibilidade” da restauração (0 = pior IO, 4 = IO ótima). Os dentes hígidos serviram como controle. A hipótese nula foi de que diferentes iluminações não influenciam a IO de inlays de CAD/CAM. ANOVA de um critério, seguida do teste post hoc de Scheffe’s, foi aplicada (P = 0,05).

Resultados: Iluminação direta com luz neutra: EIO entre 2,67 (IPS e.max CAD LT A1, ENAMIC A1) e 3,83 (IPS e.max CAD HT A1) com uma média de 3,28 (± 0,339). Iluminação indireta: EIO de 1,00 (Paradigm MZ100 A1) a 2,41 (ENAMIC A1) com uma média de 1,88 (± 0,598). Luz fluorescente: EIO entre 0,75 e 3,25 com uma média de 1,67 (± 1,025). ENAMIC e VITABLOCS Mark II demonstraram a melhor integração ótica na fluorescência. IPS e.max CAD, Paradigm MZ 100 demonstraram baixa fluorescência; Lava Ultimate alta fluorescência. A IO foi influenciada pelas diferentes iluminações.

Conclusão: Um método simples e acessível aos clínicos para avaliação adicional de materiais CAD/CAM na prática diária é apresentado. Todos os materiais demonstraram excelente IO com luz branca neutra. As diferenças mais pronunciadas na integração ótica entre dente e os materiais avaliados foram observadas sob luz fluorescente.