Avaliação estética do tecido mole peri-implantar após colocação imediata e provisionalização de implante unitário na maxila anterior


Objetivos: Investigar a resposta do tecido mole peri-implantar após extração sem retalho e colocação imediata de implantes e provisionalização (CIIP) associada com osso de hidroxiapatita bovino e enxerto de tecido conjuntivo na região anterior da maxila. O estudo avaliou a eficácia desta técnica em termos de contornos de tecidos moles em áreas estéticas com o uso do escore de estética rosa (EER).

Materiais e métodos: Neste estudo retrospectivo, 39 pacientes consecutivos foram tratados e acompanhados por dois clínicos experientes para tratamento com implantes unitários na zona estética. O tratamento consistiu de extração sem retalho, colocação imediata do implante, preenchimento ósseo bovino inorgânico do espaço peri-implantar e enxerto de tecido conjuntivo. Uma coroa provisória foi colocada no momento da inserção do implante. A coroa definitiva foi posicionada 5 a 8 meses após a cirurgia. Para avaliar o resultado estético da técnica, o tecido mole ao redor do dente a ser extraído foi pontuado de acordo com o EER por sete avaliadores antes da cirurgia na visita 1 (v1), e pelo menos 1 ano após a colocação final da prótese na visita 2 (v2).

Resultados: Após um acompanhamento médio de 4 anos, a pontuação média do EER total em uma escala de 1 a 10 foi de 5,64 e 7,07 em v1 e v2, respectivamente. A análise estatística revelou uma diferença significativa entre os escores de EER antes da cirurgia e no exame de acompanhamento dos implantes anteriores (P = 0,0008).

Conclusão: Dentro das limitações deste estudo, a pós-extração com carga imediata do implante associada à hidroxiapatita bovina e ao enxerto de tecido conjuntivo é uma técnica previsível. O resultado estético é que o tecido mole parece ser mantido ou melhorado significativamente de acordo com a avaliação do EER em comparação com a inicial.