Os efeitos das posições da testa e do pescoço na estética do perfil


Introdução: Cada característica facial pode afetar a percepção do equilíbrio das outras características, de modo que todo o rosto deve ser considerado na avaliação facial. Não há estudos que tenham examinado o efeito da posição da testa e do pescoço na estética do perfil. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos das posições da testa e do pescoço na estética de perfil julgada por leigos, estudantes de Odontologia e estudantes de Arte. Materiais e métodos: Uma silhueta direta (perfil preto voltado para a direita em fundo branco) foi manipulada digitalmente para fazer variações de perfis. As posições de todos os compartimentos do rosto eram semelhantes, exceto para a posição anteroposterior da testa e do pescoço. Os 310 avaliadores (100 estudantes de Odontologia, 100 estudantes de Arte e 110 leigos) foram convidados a avaliar os perfis com uma escala de Likert. O teste de Mann-Whitney não paramétrico, os testes de qui-quadrado, os coeficientes de correlação de Spearman, a análise de variância unidirecional (ANOVA) e as análises de Kruskal-Wallis foram utilizados na análise de dados. Resultados: As pontuações atribuídas aos perfis com pescoços e testas retos, retruídos e protrusos foram significativamente diferentes (P < 0,05). Em três grupos, os perfis mais e menos atrativos julgados pelos avaliadores foram comparáveis (P > 0,05). Conclusão: Este estudo mostrou que a posição da testa e do pescoço tem efeito sobre a beleza das silhuetas de perfil e esse efeito é tão visível que todos os avaliadores poderiam perceber as diferenças. É necessário avaliar todo o rosto, incluindo a testa e o pescoço, em uma avaliação facial.