Implantes mal posicionados na maxila anterior: uma alternativa restauradora inovadora para restabelecer a saúde do tecido peri-implantar e proporcionar uma estética aceitável. Parte II: relato de caso e discussão


Esta apresentação de caso em duas partes descreve o desafio protético de solucionar complicações em uma paciente de 50 anos de idade após avaliação inadequada de risco estético, plano de tratamento e instalação de implantes na região anterior da maxila. Na Parte I, a situação clínica foi descrita e diferentes soluções restauradoras foram propostas para corrigir a inclinação vestibular extrema dos implantes, excluindo procedimentos cirúrgicos maiores, como remoção do implante. Na Parte II, diferentes opções protéticas foram discutidas e o tratamento final foi revelado. Um protocolo de tratamento não-invasivo foi aplicado para transformar uma situação pós-cirúrgica extremamente comprometida em um resultado esteticamente aceitável. Um desenho de prótese não convencional foi implementado, incluindo o uso de facetas cerâmicas cimentadas sobre uma prótese parcial fixa (PPF) de zircônia parafusada e fabricada por CAD/CAM para corrigir problemas relacionados ao eixo principal e discrepâncias espaciais.(Int J Esthet Dent – edição em português 2016;1:238-249).
(Referência original: Int J Esthet Dent 2015;10:522-532).