Restaurações adesivas indiretas posteriores: indicações atualizadas e técnica de preparo orientada pela morfologia


O objetivo deste artigo é identificar as indicações para restaurações cimentadas adesivamente e fornecer um protocolo passo a passo correto para os clínicos. Novos princípios de preparo cavitário são baseados em considerações morfológicas em termos de geometria (linha de perfil máximo e inclinação de linhas de cúspides) e estrutura (concavidade da dentina e convexidade do esmalte). Neste artigo, discutimos conceitos de preparo prévios que não foram concebidos exclusivamente para restaurações adesivas e, portanto, não eram suficientemente conservadores ou adequados para procedimentos adesivos. O formato cavitário inovador consiste em margens de cavidade planas inclinadas contínuas (chanfro côncavo ou bisel côncavo) nas paredes axiais, sempre que estejam coronais às linhas equatoriais dentárias. Um preparo de 1,2 mm de espessura com ângulo cavo-superficial em 90º é realizado na caixa interproximal e nas paredes axiais quando as margens são apicais à linha equatorial. A superfície oclusal é preparada anatomicamente, sem canaletas e ângulos. A sugestão do autor é evitar o preparo da linha de término em ombro ao redor de cúspides, canaletas oclusais e pinos, uma vez que são menos conservadores, incompatíveis com procedimentos adesivos e envolvem exposição desnecessária de dentina. As vantagens clínicas desta nova concepção de preparo “anatômico” são: 1) melhorar a qualidade da adesão (otimizando o corte de prismas de esmalte e aumentando a superfície de esmalte disponível); 2) minimizar a exposição da dentina; 3) maximizar a preservação dos tecidos duros (a cavidade sendo projetada para cimentação com resinas compostas reforçadas, melhoria do escoamento e remoção do excesso de material); 4) otimização da integração estética devido ao plano inclinado, o que permite melhor equivalência de cor na área de transição entre dente e restauração. Estes princípios de preparo podem ser efetivamente utilizados para todas as restaurações cimentadas adesivamente, tanto de acordo com os conceitos tradicionais (inlay, onlay, overlay) como os novos (overlay por adição, faceta oclusal, faceta de sobreposição, overlay de envolvimento amplo, coroa adesiva). Assim, é criado um equilíbrio entre restauração e prótese, que se caracteriza por uma abordagem mais conservadora.