Efeitos do clareamento dentário na interface adesiva de restaurações de resina composta


O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de diferentes técnicas de clareamento na interface dente-restauração de restaurações de resina composta. Foram preparadas cavidades (3 x 3 x 2 mm) em 100 fragmentos incisivos bovinos, que foram condicionados com um sistema adesivo convencional e restaurados com nanocompósito. Os fragmentos foram divididos aleatoriamente em cinco grupos (n = 20): controle (sem clareamento), clareamento caseiro (HB) (peróxido de hidrogênio a 10% [PH]), clareamento de consultório (OB) (PH a 35%), clareamento ativado por LED (LB) (PH a 35% ativado por LED) e clareamento a laser (LaB) (PH a 35% ativado por laser de diodo, λ = 880 nm). Após o clareamento, 10 amostras por grupo foram termocicladas (500 ciclos, 5°C a 55°C), imersas em uma solução de nitrato de prata a 50%, seccionadas, avaliadas sob um estereomicroscópio e pontuadas para microinfiltração. As outras amostras foram submetidas a ciclos de pH durante 14 dias consecutivos, seccionadas e o esmalte adjacente à interface adesiva avaliado por dureza  Knoop transversal. Os dados foram comparados usando ANOVA de um critério (α = 0,05). Não foram observadas diferenças entre os índices de microinfiltração encontrados para os grupos controle e experimentais. O esmalte dos grupos clareados localizados perto da interface adesiva apresentou os mesmos números de dureza Knoop, como as amostras do grupo controle. O clareamento de dentes não prejudica a interface de restauração dentária de restaurações compostas.