Harmonização do Sorriso – do planejamento digital à cimentação de laminados com preparo dental – Parte II


A execução de restaurações cerâmicas em pequena espessura é possível pela constante evolução dos materiais cerâmicos, da especificidade das técnicas laboratoriais e também pela melhoria significativa dos sistemas de união. Muitas vezes o preparo dental se faz necessário quando se considera a possibilidade de determinar um término cervical e/ou proximal que facilitaria a trajetória e o assentamento final do laminado durante a cimentação e também a identificação dos limites da restauração durante as etapas laboratoriais. Porém a literatura afirma que a longevidade dos tratamentos restauradores é mais previsível quando executamos a cimentação dos laminados sobre a estrutura do esmalte. Assim, o estabelecimento de uma sequência lógica de intervenções é fundamental pois permite, dentro dos princípios da Odontologia minimamente invasiva, alcançar um alto potencial de longevidade e previsibilidade clínica. Este relato de caso clínico mostra como um protocolo simples e previsível para a realização de facetas cerâmicas do tipo “lente de contato” permite alterar significativamente o sorriso de uma paciente e alcançar a satisfação física e psicológica almejada com o tratamento.
(Int J Esthet Dent – edição em português 2016;1:206-225).