Comportamento de desgaste dos substratos de zircônia versus diferentes materiais antagonistas


Objectivo: Esse estudo avaliou o comportamento de desgaste de diferentes substratos de zircônia com rugosidade da superfície distintas versus diferentes materiais antagonistas. Método: Espécimes com formato hemisférico (5 mm de diâmetro) feitos de materiais diferentes (VM9, ZR Vintage, IPS e.max Press e esmalte humano) foram utilizados como antagonistas versus placas de três materiais de zircônia (P-NANOZr, Cercon HT, e Zenostar) com diferentes superfícies de rugosidade (lisa [Ra = 0,01], moderada [Ra = 0,1], e áspera [Ra = 1]). Cada grupo (n = 7) foi exposto à fadiga termo-mecânica em um simulador de mastigação para 5 anos de trabalho clínico. Todos os espécimes foram digitalizados a laser e perda volumétrica foi quantificada. A microscopia eletrônica de varredura foi utilizada para avaliar o padrão de desgaste, enquanto a espectroscopia de Raman foi utilizada para determinar a propriedade cristalina das amostras de zircônia. Resultados: Para a zircônia, a menor perda volumétrica foi registrada com P-ANOZR lisa em contraposição ao esmalte antagonista (0,002 ± 0,002 mm3), ao passo que a maior perda foi observada com HT Cercon áspera versus antagonista de Vintage (0,37 ± 0,14 mm3). Para antagonistas, Zenostar lisa versus esmalte antagonista proporcionou menor perda volumétrica (0,03 ± 0,02 mm3), enquanto que os maiores valores foram registrados com Zenostar áspera versus antagonistas VM9 (2,67 ± 0,35 mm3). Uma correlação positiva foi encontrada entre a rugosidade de superfície das correlação positiva foi encontrada entre a rugosidade de superfície das amostras de zircônia e perda de volume das amostras de base e antagonistas. P-NANOZR mostrou menos desgaste em comparação com outros materiais de zircônia. O padrão de desgaste foi comparável entre amostras diferentes. O envelhecimento artificial não influenciou os níveis de fases tetragonal e monoclínica de diferentes materiais de zircônia. O padrão de desgaste foi comparável entre as diferentes amostras. O envelhecimento artificial não influenciou os níveis das fases tetragonal e monoclínica dos diferentes materiais de zircônia.
Conclusão: Enquanto a microestrutura mostra um efeito relativamente pequeno, a rugosidade de superfície da zircônia tem efeito máximo sobre seu desgaste e sobre o desgaste dos antagonistas.